Category: [1981]

O Fugitive é uma das bandas mais obscuras da NWOBHM, e que lançou apenas um Single (que muitos sites classificam como uma demo).

Muitos consideram esse um dos grandes singles da New Wave.

A seguir, a resenha das duas únicas músicas do Fugitive.

“Need My Freedom” é um Heavy onde o que destoa são os vocais. Bons riffs e mudanças de tempo constante.

No geral, um bom Heavy Tradicional. Os vocais me soam estranhos, e essa sonoridade aos 2:40 é bem bizarra, mas, essas mudanças de tempo me cativaram, e eu gostei muito de “Need My Freedom”, pois ela tem uma pegada muito própria. Some-se a isso os curiosos vocais, que apesar da total ausência de técnica, soam muito bem, e aos riffs que empolgam bastante.

O solo também é muito legal, e no geral, essa música não apresenta nada de novo, mas se mostra bem mais criativa que a maioria das músicas “retas” do Heavy da New Wave.

“Don’t Tell Me I’m Crazy” é bem mais encorpada, e eu diria que ela é envenenada. Apresentando riffs bem Deep Purple, mas com uma veia Iron Maiden, ela é um Heavy de primeira qualidade.

Boa pra bater cabeça e tudo mais, praticamente um clássico cult.

Talvez o que destoe sejam os vocais, que me soam estranhos sempre que eu escuto, mas isso não quer dizer que sejam ruíns.

Resumindo, riffs matadores e uma grande pegada.

O som é meio embolado, meio toscão, mas “Don’t Tell Me I’m Crazy” tem o espírito da New Wave, aquele sentimento Heavy Metal, que transcende os padrões de qualidade de uma música de rock pesado.

Aqui o que interessa é a atitude, o sentimento que o som passa, e questões técnicas ficam em segundo plano.

Finalizando, um grande single!


Lista de Músicas:

01. Need My Freedom 8,5
02. Don’t Tell Me I’m Crazy 10*


Tempo total: 07:55


Nota:
9,25
Estrelas: 1
Nota Re-Avaliada: 9,5


Formação:

Bernie Clark – Vocal, Guitar
Rick Berry – Bateria, Gritos
Keith Robinson – Baixo
Lenny Lembo – Vocal, Guitar


Fatos e Curiosidades:

- Por um motivo ou outro, esse single é muito fácil de ser achado, e existe uma quantidade razoável a venda na internet, sinal que a prensagem foi maior do que o normal.

- Nada se sabe sobre as pessoas que gravaram esse single, mas o baterista Rick Berry já comentou sobre o single no youtube, e segundo o mesmo, ele, sua mulher e filha ainda curtem “aquelas bandas das antigas”.


Creditos:
Por
Victor Kataóka.

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/10 (0 votes cast)
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0 (from 0 votes)

O Badger é mais uma Single Band da New Wave vinda de Londres.

A banda foi formada em 1980, lançou apenas 3 músicas, e então voltou alguns anos depois com outro nome,  para lançar mais 3 músicas e acabar definitivamente.

Poderiam passar despercebidos, mas deixaram à música “Over the wall”, considerada um clássico underground da N.W.O.B.H.M.

A seguir, escute um dos singles considerados clássicos no universo da New Wave, e veja se o Badger realmente é merecedor do status “Cult” que lhe é direcionado por alguns bangers da cena.

“Over The Wall” tem uma letra interessante (que fala sobre a fuga de uma prisão) e começa com típicos riffs Heavys, acompanhados de impactantes e muito bem encaixados backing vocals, que se aproximam levemente de muitos backing vocals adotados por várias bandas de Hard Farofa oitentistas.

Apesar da qualidade do som não ser das melhores, deu pra ficar muito bem registrado toda a pegada Heavy dessa música.

Bons riffs, bom solo, vocal firme, e backing vocals bem sacados, mas, um som que não desce redondo, e sim abafado.

Heavy Metal Tradicional na sua forma mais pura, na linha do Iron das antigas.

Aliás, vou além: Se você me mostrar um Heavy Tradicional mais virgem que esse, eu ficarei surpreso.

“Faceless Gang” começa puxada para o Heavy Tradicional.

Mas na verdade, ela tem um pé no rock and roll, sem deixar de ser Heavy.

Eu diria que em alguns momentos, o instrumental lembra bem o AC/DC.

O refrão eu acho que não ficou legal. Não que seja grudento, mas soa meio maçante, repetitivo.

Ela é o tipo de música que você fica esperando chegar o ápice, mas ele não chega.

O solo é até legalsinho, mas não salva.

Talvez a coisa mais legal nessa música seja a sirene de polícia, o que é bem adequada para a letra (muito bacana por sinal).

Já li resenhas que elogiaram essa música, mas definitivamente, não me cativou.

“Runaway” é uma “Over The Wall” um pouco menos Heavy. O detalhe é que ela é ao vivo, e parece ter sido gravada em um pequeno clube.

Lembra vagamente o Thin Lizzy.

A bateria soa muito mal afinada, e os dois solos são muito bacanas.

Também não posso esquecer-me de destacar as linhas de baixo, que também fazem toda a diferença na música.

Então, eis que ela vai ficando baixa e acaba com gostinho de quero mais.

Eu particularmente me delicio com essas músicas gravadas ao vivo por Single Bands da New Wave.

Pra mim, essas são as verdadeiras pérolas do Heavy Metal, as músicas que realmente mostram bem o que representa essa música que amamos tanto.

A última música dessa resenha é “The Traveller”, que saiu apenas na coletânea “Metal Plated”, lançada pela gravadora Ebony Records em 1983.

Essa é uma música com o selo Heavy.

A qualidade do som não é muito boa, mas deu pra entender a mensagem.

Mesmo com todos os instrumentos embolados, da pra ouvir a cavalgada nas guitarras, realmente a intenção era boa.

Eu vejo vários ingredientes do Heavy Tradicional e até do Hard Oitentista sendo aplicados aqui, mas sem passar aquela sensação de “sonoridade desgastada”.

Finalizando, bons riffs, boa estrutura Heavy Tradicional, e sem dúvidas uma grande música, mas que foi castigada por uma péssima mixagem.

O meu saldo final é o de que apesar de não serem músicas maravilhosas, essa audição me deixou muito curiosos para ouvir um álbum completo da banda.

Recomendado para quem quer ouvir bandas da New Wave que saíram um pouco dos caminhos do Heavy…


Lista de Músicas:

1.Over The Wall (03:00) 9,0
2.Faceless Gang (03:13) 7,25
3.Runaway (Live) (03:38) 8,5
4.The Traveller  (03:41) 8,5


Tempo total: 13:32


Nota:
8,5


Formação:

Badger Bell – Vocal
Roy Baird – Guitarra
Davey Hoyle – Guitarra
Mogga Moon – Baixo
Gary Jones – Bateria

Vídeos:


Fatos e Curiosidades:

- O selo Noize Gate Records pertencia à banda, que lançou de forma independente seu único single.

- Poucos anos depois, a banda mudou seu nome para The Badger Bell Band.

- Em 2010, a banda norte Americana Züül regravou a música “Over the Wall” para o seu single Warriors, lançado em maio do mesmo ano.


Creditos:
Por
Victor Kataóka.

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/10 (0 votes cast)
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0 (from 0 votes)

Vinda de Newcastle, o Badge é mais uma Single Band da N.W.O.B.H.M que lançou apenas duas músicas e depois desapareceu da história.

No místico e curioso universo das Single Bands, é muito comum hoje em dia a maioria desses singles ganharem status cult, e quase todas essas bandas lendárias acabarem sendo super-valorizadas.

Todavia, a grande verdade é que apesar da esmagadora maioria das bandas da New Wave terem feito músicas seguindo um altíssimo padrão de qualidade, apenas uma pequena parcela dessas bandas podem ser consideradas geniais, enquanto a maioria, apenas se limitava a copiar uma sonoridade que ficou muito característica a New Wave.

A banda que será resenhada a seguir é um grande exemplo dessas “bandas que não acrescentaram muito a cena”.

Mas, colaborando para o místico universo das Single Bands, o Badge, assim como várias outras, também teve o seu “diferencial”, ou seja, a sua curiosidade, que lhe proporcionou um pequeno destaque em relação às outras.

A seguir, o fiel leitor do H2R irá escutar um dos sons mais bem gravados da New Wave, o single Silver Woman, do Badge.

“Silver Woman” tem uma qualidade de gravação bem superior a da maioria das Single-Bands da New Wave, o que me deixou muito impressionado.

Essa música começa com um jeitão Hard 80´s, e ela segue essa linha até o fim.

Tudo soa muito bom, mas no geral, ela não tem nada de outro mundo, e eu diria até que ela se parece com centenas de outras músicas.

O final é o mais interessante, com uma boa seqüência de riffs.

“Something I’ve Lost” é uma balada.

Aqui eu achei que o vocal ficou muito baixo, e a qualidade da gravação ficou bem abaixo de “Silver Woman”, o que não significa que ficou mal gravada, muito pelo contrário.

No geral, essa música parece ter sido feito sobre medida. Quando eu escuto eu tenho aquela maldita impressão de “Eles seguiram a fórmula de forma muito rigorosa”.

Apesar do bom solo e da bonita melodia, essa música não consegue encantar.

Escute ela, e note como é um exemplo claro da fórmula de baladas seguida a risca, e sem nenhum atrativo adicional.

A música é boa, mas faltou alguma coisa…

Resumindo, uma boa banda, mas que provavelmente, se tivesse gravado um disco, dificilmente teria acrescentado alguma coisa à cena.


Lista de Músicas:

01. Silver Woman (03:30) 8,0
02. Something I’ve Lost (04:14) 8,0


Tempo total: 07:44


Escute as Músicas


Nota:
8,0


Formação:

Graham Waudby – Vocal
Stuart McLean – Guitarra
Tony Dixon – Guitarra
Mike Cooper – Baixo
Rob Zipfel – Bateria


Fatos e Curiosidades:

- Mesmo hoje em dia, a qualidade da gravação do single Silver Woman ainda impressiona, mas o mais impressionante, é que não se sabe absolutamente nada sobre nenhum dos músicos da banda.

- Em 2006 foi lançada a coletânea Heavy metal obscurities – NWOBHM, que continha as duas músicas lançadas pelo Badge.


Creditos:
Por
Victor Kataóka.

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/10 (0 votes cast)
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0 (from 0 votes)